segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Vida e a Morte


Eu sei tudo sobre a vida e a morte. Não foi em vão que me tornei uma especialista nos Sonetos sacros de Donne a que que me interroga minuciosa e profundamente - mais do que qualquer outra na literatura inglesa - a questão da mortalidade.

(personagem Vivian Bearing da peça Jornada de um Poema )


Tradução do soneto


X

Oh! morte, que alguns dizem assombrosa

E forte. não te orgulhes, não é assim;

Mesmo aquele a quem visastes o fim,

Não morre; não te vejo vitoriosa.


Vens em sono e repouso disfarçada,

Prazeres para os que tu surpreendes;

E o bom ao conhecer o que pretendes

Descansa o corpo, a alma libertada.


Serves aos reis, ao azar e às agonias,

A ti, doença e guerra se acasalam;

Também os ópios e magias nos embalam,


Como o sono. De que te vanglorias?

Um breve sono que a vida eterna traz,

Golpeia a morte, Morte morrerás.

Nenhum comentário: