terça-feira, 1 de março de 2011

Laranja em pó

ATÉ AGORA EU NÃO ME CONHECIA,
JULGAVA QUE ERA EU E EU NÃO ERA
AQUELA QUE EM MEUS VERSOS DESCREVERA
TAO CLARA COMO A FONTE E COMO O DIA
MAS QUE EU NÃO ERA EU NÃO O SABIA
E, MESMO QUE SOUBESSE, O NÃO DISSERA...
OLHOS FITOS EM RÚTILA QUIMERA
ANDAVA ATRÁS DE MIM E NÃO ME VIA!
ANDAVA A PROCURAR-ME - POBRE OUCA! -
E ACHEI O MEU OLHAR NO TEU OLHAR,
E A MINHA BOCA SOBE A TUA BOCA !
E ESTA ÂNSIA DE VIVER, QUE NADA ACALMA,
E A CHAMA DA TUA ALMA A ESBRASEAR
AS APAGADAS CINZAS DA MINHA ALMA!
Flobela Espanca - Charneca em Flor.

Nenhum comentário: