quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Ordem de Despejo

       O morador de rua Manoel M. S. de 68 anos, há pelo menos vinte anos circulava pelas ruas do bairro da Vila Nova Conceição, uma das regiões mais nobres da cidade de São Paulo, causando desconforto para os seus vizinhos, que não suportavam o mau cheiro que o vizinho indesejado exalava.
       Manoel ocupava não mais que 1,5 metros em uma praça que fica no coração do bairro , em meio aos edifícios mais valiosos da cidade. 
       Ele invadiu a praça que fica a 2,5 quarteirões da casa do atual Secretário do Departamento Social Antonio Floriano Pesaro, 35. 
       Partiu do secretário a ordem de despejo para retirar o intruso Manoel da vizinhança. O senhor de 68 anos deu trabalho para os assistentes sociais, na hora de retirá-lo da praça, Manoel correu e conseguiu escapar da técnica da secretaria. 
       O Jornaleiro da praça ficou encarregado em ligar para assistente social Elizabeth Maria Valleta, assim que o sem teto voltasse para o local, o sem teto voltou para o seu pequeno espaço em meio a todo aquele Oasis e o Jornaleiro chamou os assistentes sociais. 
       O homem foi capturado e levado para o Centro de Atenção Integrada a Saúde Mental, da Santa Casa de Misericórdia, onde foi diagnosticado demência, e encaminharam ao Hospital Psiquiátrico Pinel.
       Manoel M. S.  foi encontrado no Pinel de Pirituba, limpo e de barba feita, cabelo raspado ele contou que nasceu em Piratininga, com 15 anos veio para São Paulo, foi alfaiate, depois se empregou numa padaria alimentando com lenha o forno de pão . Ex crente, fuma, não bebe. "de vez em quando tomo um copinho de querosene com café para ir para o esquecimento sabe. As vezes é muito duro lembrar", diz sem teto Manoel M. S. 
       Na despedida ele pediu para não ser esquecido. 

Texto produzido na aula de língua Portuguesa III 
Universidade de Santo Amaro - UNISA/ 2010